quinta-feira, 7 de abril de 2016

SAUDADE, POEMA DE JOÃO GUIMARÃES ROSA



SAUDADE, POEMA DE JOÃO GUIMARÃES ROSA



Saudade de tudo!...
Saudade, essencial e orgânica,
de horas passadas
que eu podia viver e não vivi!...
Saudade de gente que não conheço,
de amigos nascidos noutras terras,
de almas órfas e irmãs,
de minha gente dispersa,
que talvez ainha hoje espere por mim...


Saudade triste do passado,
saudade gloriosa do futuro,
saudade de todos os presentes
vividos fora de mim!...


Pressa!...
Ânsia voraz de me fazer em muitos,
fome angustiosa da fusão de tudo,
sede da volta final
da grande experiência:
uma só alma em um só corpo,
uma só alma-corpo,
um só,
um!...
Como quem fecha numa gota
o Oceano,
afogado no fundo de si mesmo...


4 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, lindo poema.
Ai quantas saudades vamos guardando no coração.
Beijinhos
Maria

Mariazita disse...

Um óptimo poeta, um maravilhoso poema, uma excelente escolha.
O poeta descreve, na perfeição, esse sentimento por vezes complexo mas no fundo bem simples, que se chama saudade, e que eu conheço bem demais, querida amiga.

Bom Domingo
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

PS - Há novo post na minha "CASA".

Pedro Luso disse...

Parabéns, Renata, pela edição desse excelente poema do mestre João Guimarães Rosa, que é, você sabe, um dos nomes mais importantes da literatura portuguesa.
Um bom domingo.
Abraços.

MARILENE disse...

Que beleza de música! Os versos, só me resta aplaudir. A abrangência da saudade cantada, de forma tão rica, é sublime. Bjs.