quarta-feira, 13 de abril de 2016

FLOR DO MAR, SONETO DE CRUZ E SOUZA




FLOR DO MAR, SONETO DE CRUZ E SOUZA



És da origem do mar, vens do secreto,
do estranho mar espumaroso e frio
que põe rede de sonhos ao navio,
e o deixa balouçar, na vaga, inquieto.


Possuis do mar o deslumbrante afeto,
as dormências nervosas e o sombrio
e torvo aspecto aterrador, bravio
das ondas no atro e proceloso aspecto.


Num fundo ideal de púrpuras e rosas
surges das águas mucilaginosas
como a lua entre a névoa dos espaços…


Trazes na carne o eflorescer das vinhas,
auroras, virgens musicas marinhas,
acres aromas de algas e sargaços…

Um comentário:

Rosa Alentejana disse...

Uau...que delícia de soneto!!
Amei ler e degustar ;)
Gosto assim, de ler e saborear!
Beijinho