sexta-feira, 15 de abril de 2016

CORPO DE MULHER, POEMA DE PAULO ALVEZ



CORPO DE MULHER, POEMA DE PAULO ALVEZ


Teu corpo de mulher foi meu outrora.
Perdia-me no peso representativo dos teus gestos,
Com dentes ainda me mordes os desejos, que despertos
Se mantêm em harmonias de sensações que a alma devora…
Teu corpo de mulher, orgia entranhada no pensamento,
Como nuvem de poeira distinta, cobrindo a lucidez.
Por ti, ébrio me ajuízo, fruído me revejo outra vez,
Por tufões de calores… afamo em teu sentimento…
Anseio sonhar-te, ver-me na fantasia real, não absorto.
Ser batel navegante em tua única via,
Ver-me estribado à margem do teu porto…
Anseio ver-me, sonhar-te, na real fantasia.
Ser síntese das carícias em teu corpo.
Ser na tua vida, a razão incidente da alegria…




3 comentários:

Jorge disse...

Que delicia...

MARILENE disse...

Música encantadora e muito apropriada ao poema, já que ambos falam da mulher, embora abordando aspectos distintos. Não conhecia esses versos, que enaltecem um corpo, com bela sensualidade. Bjs.

rosa-branca disse...

Deliciosamente belo. Adorei. Beijos com carinho