domingo, 13 de março de 2016

AINDA QUE MAL, POEMA DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE




AINDA QUE MAL

Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.



3 comentários:

Malu Silva disse...

Gosto demais de Drummond!
Estou voltando e visitando os amigos que não via por tempos...
Estou de casa nova e, se desejar, venha conhecer...

Daniel Costa disse...

Renata

Seu Drummond em seus pensamentos, na sua vertente de pensador.

A comentar Baíha e a lenda, no meu blog, BRASIL: O SORRISO DE DEUS, que se vai encaminhar para ser história pós cabralina do Brasil.
http://amornaguerra.blogspot.pt/

Beijos

MARILENE disse...

Muito prazeroso ouvir essa linda música e ler os versos do grande Carlos Drummond de Andrade. Bjs.