segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

BORBOLETA, POEMA DE RENATA CORDEIRO




BORBOLETA

 Dedicado ao grande Poeta e querido amigo Daniel Costa

Agora que já espalhei o pólen, vou retirar-me. É preciso.

Click to Edit or Share

Uma borboleta sai voando
Num instante
Como num passe de mágica
Não te mexas!
O tempo parou...
Boêmia de turquesa
De um azul nacarado
Flor sem haste
Não há nada mais belo
Do que um acompanhamento poético




2 comentários:

Daniel Costa disse...

Renata, recordar é viver, a saudade fica sempre e sento assim é sempre bom recordar bons, sublimando-os.
Beijos

MARILENE disse...

Renata, que preciosa homenagem! Os versos estão lindos! Bjs.