quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

RETRATO, POEMA DE MIGUEL TORGA






RETRATO


O meu perfil é duro como o perfil do mundo.

Quem adivinha nele a graça da poesia?

Pedra talhada a pico e sofrimento,

É um muro hostil à volta do pomar.

Lá dentro há frutos, há frescura, há quanto

Faz um poema doce e desejado;

Mas quem passa na rua

Nem sequer sonha que do outro lado

A paisagem da vida continua.

Miguel Torga
Coimbra, 11 de Março de 1952

2 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Renata... a história do Miguel Torga é muito interessante...
E é ótimo descobrir poetas jovens como você descobrindo a maravilhosa obra dele...

Daniel Costa disse...

Renata, o poema revela o arrebatado pensamento de Miguel Torga.
Beijos