quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

VEM MORRER VIVENDO NOS MEUS BRAÇOS, POEMA DE LÍLIA CHAVES




VEM MORRER VIVENDO NOS MEUS BRAÇOS, POEMA DE LÍLIA CHAVES


Vem morrer vivendo nos meus braços

Preenche com meu colo teus espaços

Do avesso do meu não, faz o teu sim

Vem poetar de amor dentro de mim

Grita o aroma rubro do desejo em flor

Perde teu gosto fulvo desta pele em cor

Pensa nas sombras de gemidos vãos

E faze de meus lábios tuas mãos

Sente meu toque no teu toque exangue

Vive meu gozo em teu próprio sangue

Dá-me teu beijo para que eu afague

Dá-me teus olhos para que eu me afogue

Teu pensamento onde minh'alma cabe

E que meu corpo no teu corpo acabe

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

UM MUNDO SÓ MEU..., POEMA DE ALEXANDRINO SOUSA



UM MUNDO SÓ MEU..., POEMA DE ALEXANDRINO SOUSA
sei de um mundo,
um mundo que é só meu,
onde os rios são verdes prados
e os mares tapetes voadores,
onde as flores são perfumadas,
e as árvores tocam o céu...

Um dia, ramo por ramo,
com a certeza dos sonhos,
subirei, subirei bem alto,
saltando de estrela em estrela,
e falarei com a lua...
ah se a lua me quisesse perto dela...

sei de um mundo,
um mundo que é só meu,
onde as lágrimas se sumiram
e os sorrisos renasceram,
onde as palavras suspiram
nos corações que em vão sofreram...

http://prosasdeoutono.blogspot.com.br



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O TEU RETRATO, POEMA DE ANTÓNIO NOBRE

Imagem tirada da Net

O TEU RETRATO, POEMA DE ANTÓNIO NOBRE

Deus fez a noite com o teu olhar
Deus fez as ondas com os teus cabelos;
Com a tua coragem fez castelos
Que pôs, como defesa, à beira-mar.

Com um sorriso teu, fez o luar
(Que é sorriso de noite, ao viandante)
E eu que andava pelo mundo, errante,
Já não ando perdido em alto-mar!

Do céu de Portugal fez a tua alma!
E ao ver-te sempre assim, tão pura e calma,
Da minha Noite, eu fiz a Claridade!

Ó meu anjo de luz e de esperança,
Será em ti afinal que descansa
O triste fim da minha mocidade!







quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

POEMINHA DO CONTRA, POEMA DE MARIO QUINTANA



POEMINHA DO CONTRA, POEMA DE MARIO QUINTANA

Todos estes que aí estão,
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Angel Images Angel Pictures Upload Photos



quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

TALVEZ, POEMA DE ALBANO MARTINS


TALVEZ, POEMA DE ALBANO MARTINS

Sim, dizias tu, mas em seguida
corrigiste: talvez. Esta é a única palavra
que não tem casa. Que
mora no intervalo entre
o som e o silêncio.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

DESPEDIDA, POEMA DE CECÍLIA MEIRELES


                     




                       DESPEDIDA, POEMA DE CECÍLIA MEIRELES

                            Por mim, e por vós, e por mais aquilo que está
                            onde as outras coisas nunca estão
                            deixo o mar bravo e o céu tranqüilo: quero solidão.

                            Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
                            E como o conheces ? - me perguntarão.
                            Por não ter palavras, por não ter imagens.
                            Nenhum inimigo e nenhum irmão.

                           Que procuras ? Tudo. Que desejas ? - Nada.
                            Viajo sozinha com o meu coração.
                            Não ando perdida, mas desencontrada.
                            Levo o meu rumo na minha mão.

                            A memória voou da minha fronte.
                            Voou meu amor, minha imaginação...
                            Talvez eu morra antes do horizonte.
                            Memória, amor e o resto onde estarão ?

                            Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
                            (Beijo-te, corpo meu, todo desilusão !
                            Estandarte triste de uma estranha guerra ...)
                            Quero solidão.

                        

sábado, 15 de fevereiro de 2014

"DORME BEM", POEMA DE ALEXANDRINO SOUSA




"DORME BEM", POEMA DE ALEXANDRINO SOUSA

sem vacilar, em breve escrita,
saem das mãos o adeus, 
o silêncio em forma de palavras...
"dorme bem"...

como se do desejo em forma de ritual,
os sonhos e os pesadelos evaporassem
e deixassem o corpo levitar,
tal e qual uma pena de ave no ar...

a custo, relê a mensagem... "dorme bem"...
aperta-se o coração, os lábios
pelo mundo que ficou lá fora...
acorda manhã... chegou minha hora...
 

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

ESPÍRITO PROTETOR, POEMA DE MACHADO DE CARLOS



ESPÍRITO PROTETOR, POEMA DE MACHADO DE CARLOS



Ela vem com singular alegria!
Espalha suas rosas ao amanhecer!...
Enriquece, sem tributos, meu ser,
com a voz afetuosa de um bom-dia!

- De onde vens, anjo, cheio de melodia?!
- Teu verbo harmoniza o meu viver!
Quando a jornada chega ao anoitecer,
Ela vem e abençoa o fim do meu dia!...

À noite, ela volta, e parte pro além!...
Será o sorriso de mais alguém...
Que ainda não tem a luta por vencida.

Outro dia!... Vou atrás da felicidade
Procuro, de novo, a sua bondade!...
- Donde vem esta alma tão querida?!...



http://machadodekarlos.blogspot.com.br


 

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

TERNURA, POEMA DE VINICIUS DE MORAES



Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentado
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...
É um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta, muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade o olhar
                                                                     [ extático da aurora.