quinta-feira, 3 de julho de 2014

DEPOIS..., POEMA DE PAULO MAURICIO G. DA SILVA



DEPOIS..., POEMA DE PAULO MAURICIO G. DA SILVA



Para onde vão as folhas, depois das ramagens?...
E por quais ventos elas são sempre levadas,
Talvez cobrindo chãos de sombras arruinadas,
Trilhos mortos de fuliginosas paragens?...

Como as cinzas também, das paixões consumadas,
Levadas pelo vago sopro das aragens?...
Para quais horizontes, para quais paisagens?...
Bem como as borboletas, depois das floradas...

Para onde vão as nuvens, alvas passageiras?...
Pétalas ressequidas de tantas roseiras,
E as rosas também, depois que elas são beijadas?...

- Também irei, depois das ilusões primeiras,
Passadas as felicidades derradeiras...
Depois do teu adeus... Das tuas costas voltadas...

9 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

03/07/14, DEPOIS..., POEMA DE PAULO MAURICIO G. DA SILVA.
Renata Cordeiro

Gaja Maria disse...

Mais um poema lindo, como já nos habituaste a vir aqui ler :)

Daniel Costa disse...

Querida Renata

Depois ser lido um belo soneto, ainda deu para constatar o maravilhoso ritmo que o autor: PAULO MAURICIO G. DA SILVA, lhe imprimiu.
Beijos

M D Roque disse...

Poema fantástico.
Não conhecia e me encantou.
Beijo e BFS. D

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

Elvira Carvalho disse...

Não conhecia o poema e gostei.
Um abraço e bom fim de semana

Marisa Giglio disse...

Renata , vim conhecer seu espaço por indicação do querido Felisberto e me encantei . Sou sua mais nova seguidora . Beijos

Manuela disse...

Olá Renata, vim fazer uma visita, beijinhos :)

José María Souza Costa disse...

Olá.

Sábado de sol. Tardes de entretenimento.
Meus desejos de um tempo de paz e Saúde.
Abraços.

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, belissimo poema.
Beijinhos
Maria