segunda-feira, 30 de junho de 2014

ÚLTIMO FANTASMA, SONETO DE CASTRO ALVES


ÚLTIMO FANTASMA, SONETO DE CASTRO ALVES


Quem és tu, quem és tu, vulto gracioso
Que te elevas da noite na orvalhada?
Tens a face nas sombras mergulhada...
Sobre as névoas te libras vaporoso...

Baixas do céu num vôo harmonioso!...
Quem és tu, bela e branca desposada?
Da laranjeira em flor a nevada
Cerca-te a fronte, ó ser misterioso!...

Onde nos vimos nós?... És doutra esfera?
És o ser que eu busquei do sul ao norte...
Por quem meu peito em sonhos desespera?...

Quem és tu? Quem és tu? – És minha sorte!
És talvez o ideal que est´alma espera!
És a glória talvez! Talvez a morte!...

7 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

30/06/14, ÚLTIMO FANTASMA, SONETO DE CASTRO ALVES.
Renata Cordeiro

Elvira Carvalho disse...

Um belíssimo poema.
Um abraço

helia disse...

Um Soneto muito bonito !
Obrigada pela partilha !

Elvira Carvalho disse...

Mais uma excelente escolha. Gosto muito de Castro Alves.
Um abraço e resto de boa semana

PAULO TAMBURRO. disse...

RENATA.

Castro Alves, como todos nós, não conseguiu também, descobrir a origem deste sentimento que, "pega" em alguns relacionamentos e, em outros não.

Então quando "pega" é coisa da pele,encontro de almas gêmeas?

Muito pouco para explicar um sentimento tão avassalador que nos transforma em crianças,acende todas as nossas reservas de energia,faz o pássaro, os rios, as estrelas virarem poemas,ante nossos olhares.

Que sentimento é este, e de onde vem?

Não tenho dúvida que, só tenho dúvidas.

Benditas dúvidas e, se for para amar, quero continuar ignorante perante ele.

Um abração carioca RENATA.

Lilly Silva disse...

Lindo poema Renata, ótima escolha de post!
Vi seu blog no top comentaristas do blog do Felisberto e vim conhecer.Já fiquei por aqui!!!
Bjins

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

São disse...

A foto, a música e o poema se entrelaçam magnificamente.


Minha querida, num beijo lhe envio votos de bom fim de dia