sexta-feira, 20 de junho de 2014

MAL SECRETO, POEMA DE RAIMUNDO CORRÊA



MAL SECRETO, POEMA DE RAIMUNDO CORRÊA

Se a cólera que espuma, a dor que mora
N´alma e destrói cada ilusão que nasce;
Tudo o que punge, tudo o que devora
O coração, no rosto se estampasse;

Se se pudesse o espírito que chora
Ver através da máscara da face,
Quanta gente talvez que inveja agora
Nos causa, então piedade nos causasse!

Quanta gente que ri, talvez consigo
Guarda um atroz, recôndito inimigo,
Como invisível chaga cancerosa!

Quanta gente que ri, talvez, existe
Cuja ventura única consiste
Em parecer aos outros venturosa!

6 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

20/06/14, MAL SECRETO, POEMA DE RAIMUNDO CORRÊA.
Renata Cordeiro

São disse...

Minha querida, que verdade: quanta mágoa se esconde por detrás de máscaras a brilhar!

Já lhe disse que adoro a sua foto de cabeçalho?

Beijinhos, muitos. :)

Pérola disse...

Se o pensamento se visse...como seria diferente o mundo.

Há todo um mundo interior quase sempre escondido.

Bela escolha.


Beijinhos

Evanir disse...

Queria ser um anjo,
Ter a bondade nas faces,
A sabedoria no olhar,
Saber sorrir, saber confortar,
Saber entender os aflitos, saber ensinar.
Ir ao encontro de todos, e a todos amar.
Queria somente ser um anjo
Que ama você e nada mais.
Um abençoado final de semana.
Beijos esses com todo carinho,
e o maior amor desse mundo.
PS..Perdoe pelo meu afastamento..
Sou apenas do grupo rosa,
não transmito dor transmito
apenas amor.
Evanir.

. intemporal . disse...

.

.

. d`entre as des.parecências de/do Ser .

.

. bom fim.de.semana .

.

.

Evanir disse...

Querida amiga.
Uma semana de paz carinho e muito amor.
Beijos no seu coração.
Evanir.