sábado, 5 de abril de 2014

AMOR E ROSAS, POEMA DE JOÃO RIBEIRO FERNANDES


               AMOR E ROSAS, POEMA DE JOÃO RIBEIRO FERNANDES


Um ano agora faz que em minha casa estavas,
Em meu pobre jardim rosas brancas havia.
Por desejá-las, tu nos pés te alevantavas
Para a rosa colher que mais alto floria.

Embalde! pois que a tanta altura não chegavas!
Para ajudar-te fui, e quando o braço erguia
E erguia a mão buscando a flor que desejavas,
Do teu olhar gelou-me a constante ironia.

Nesse momento, eu tremo, e o galho me escapando
Dispersa pelo espaço as desfolhadas flores,
Que te vieram cobrir a fronte compungida.

       Não é muito, senhora, (eu te disse) atentando
Que quem amor nos dá partido em muitas dores
Uma rosa receba em pétalas partida.  

      

4 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

06/04/14, AMOR E ROSAS, POEMA DE JOÃO RIBEIRO FERNANDES (1867-1934).
Renata Cordeiro

Daniel Costa disse...

Querida Renata

João Ribeiro Fernandes, nos presenteia com um bonita e intenso poema, que a tua sensibilidade escolheu bem. Aconteceu o mesmo com a audição do vídeo da canção de Marisa Monte.
Beijos

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Renata.

Como sempre, você nos presenteia com o melhor. Esse poema é lindo!

Beijos.

Jorge disse...

Excelente combinação poema/música!
Beijinhos