terça-feira, 29 de abril de 2014

A UMA CORTESÃ, SONETO DE J. EUSTACHIO D´AZEVEDO

Catherine Mc Cornack no filme "Dangerous Beauty"

A UMA CORTESÃ, SONETO DE J. EUSTACHIO D´AZEVEDO

A luz do teu olhar que audaz cintila,
iluminou minh´alma enregelada,
naquela noite olente e constelada
em que me viste, em que eu te vi, Dalila!

Tinhas da Vésper que no céu rutila
o fulgurante brilho e a graça iriada!...
E eu, ao te ver assim, bela, adorada,
oh! como te estimei, mulher d´argila!

No coração, porém, só tinhas... lodo!
O meu amor arrefeceu de todo...
E ao saber que, sem pejo, te vendias,

eu também te comprei! Paguei-te à vista
e saí enojado da conquista
trescalando ao perfume das orgias!

5 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

29/04/14, A UMA CORTESÃ, SONETO DE J. EUSTACHIO D´AZEVEDO.
Renata Cordeiro

PAULO TAMBURRO. disse...

Olá RENATA,

quem paga o preço do prazer,consciente dos objetivos explícitos a que se refere,teria o direito por qualquer razão,de sair enojado da conquista?

Dalila não se apresentou uma vestal imaculada,foram os olhos de terceiros que assim a viram.

Dalila ,entre os seus recursos de atração,jamais dissimulou-se em mulher diferenciada do que era.

Foram os olhos de terceiros que,novamente, assim a viram.

Dalilas,neste mundo real existem!

Dalilas através dos séculos existem, assim como existem também aqueles que pagam o preço exigido, e saem ainda embriados pelos perfumes momentâneos dos prazeres da contrapartida oferecida.

Mas encontram,depois das orgias sempre razões para colocar no objeto dos seus desejos a culpa,por ainda sentirem enebriados pelo perfume que os enlouqueceu e pelos prazeres prestados.

Dalila é mulher,foi prostituta,mas também podia ter sido mãe dos filhos daquele que só preferiu ver nela,um orgasmo remunerado.

E quem discordar,por nunca ter pecado que, atire a primeira pedra.

Acho que já leram isso em algum lugar ,antes!

Um abração carioca RENATA.





Daniel Costa disse...

O amor pago, acaba por ser sempre amor, nunca ser prazer compensado. Falta sempre o sentido da sentimento da união.
Da partilha.
Beijos

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo soneto...Espectacular....
Cumprimentos

Pipoca Arrumadinha disse...

Muito bonito!