segunda-feira, 31 de março de 2014

MINHAS MÃOS, POEMA DE PAULA TAITELBAUM

Cinderela, de Denise Worisch

MINHAS MÃOS, POEMA DE PAULA TAITELBAUM

Minhas mãos estão atadas
Como nós de embarcação
Minhas mãos estão vazias
Com quem perde a ilusão
Minhas mãos estão trêmulas
Como uma voz de emoção
Minhas mãos estão frias
Como meu coração.



7 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

31/03/14, MINHAS MÃOS, POEMA DE PAULA TAITELBAUM.
Renata Cordeiro

Jorge disse...

Há séculos que não ouvia essa musica...bonita, de facto!
Um beijinho

Elvira Carvalho disse...

Muito belo o poema.
Gostei do vídeo.
Um abraço e uma boa semana

Daniel Costa disse...

Querida Renata, é hábito dizer-se que, "mãos frias, coração quente". Mas Paula Taitelbaum deu a volta ao ditado, num poema belo.
Bela também a canção.
Beijos

Graça Pereira disse...

As mãos...as mãos que falam sem que a boca diga nada...
Lindo poema com um fundo musical extraordinário.
beijo e boa semana.
Graça

Evanir disse...

É Segunda, mais uma semana comesando.
Com o coração feliz por estar hoje aqui na
sua casinha virtual.
Coisa que ultimamente esta um pouco difícil
conseguir retribuir o carinho que recebo.
A vida é abençoada quando acreditamos no impossível
mesmo quando alguns nos insentiva
a desistir . E desistir é para os fracos,
todos nos podemos superar nossos medos
e nossas dificuldades e continuar.
Graças : A Deus procuro absorver só
aquilo que eleva minha alto estima.
E procuro de alguma forma entender o porque no lugar
de nos dar as mãos passando segurança,
e sucesso mesmo que percebemos
que o futuro ainda é muito incerto.
A vida é o bem mais precioso ,
que Deus nos deu eu incentivo
vamos que vamos vale a pena,
porque minha alma nunca foi pequena.
Uma semana na paz e na luz de Jesus.
Beijos e carinhos para você.
Evanir.
Te Amoo

Fernando Santos (Chana) disse...

Muito belo o poema e o vídeo...Espectacular....
Cumprimentos