terça-feira, 11 de março de 2014

HARMONIA VELHA, POEMA DE GUILHERME DE ALMEIDA




 
HARMONIA VELHA, POEMA DE GUILHERME DE ALMEIDA

O teu beijo resume
Todas as sensações dos meus sentidos
A cor, o gosto, o tato, a música, o perfume
Dos teus lábios acesos e estendidos
Fazem a escala ardente com que acordas
O fauno encantador
Que, na lira sensual de cinco cordas,
Tange a canção do amor!
E o tato mais vibrante,
O sabor mais sutil, a cor mais louca,
O perfume mais doido, o som mais provocante
Moram na flor triunfal da tua boca!
Flor que se olha, e ouve, e toca, e prova, e aspira;
Flor de alma, que é também
Um acorde em minha lira,
Que é meu mal e é meu bem...
Se uma emoção estranha o gosto de uma fruta,
A luz de um poente chega a mim,
Não sei de onde, e bruscamente ganha qualquer
Sentido meu, é a ti somente que ouço,
Ou aspiro, ou provo, ou toco, ou vejo...
E acabo de pensar
Que qualquer emoção vem de teu beijo
Que anda disperso no ar...



2 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

11/03/2014, HARMONIA VELHA, POEMA DE GUILHERME DE ALMEIDA.
Renata Cordeiro

Alexandrino Sousa disse...

olá Renata,

e os beijos são a razão de tanta coisa, o principio de tanta coisa, um prazer inexplicável...

beijo
Alex