sábado, 15 de março de 2014

BELA, POEMA DE SEVERIANO CARDOSO




BELA, POEMA DE SEVERIANO CARDOSO

O teu olhar imita o diamante,
Tuas faces são pétalas de Maio;
Cobre-te o sol com um xale cintilante,
Te encoifa a lua em lânguido desmaio.

Quisera um trono para dar-te em paga
De inspiração que acorda o teu olhar,
Por onde eu vejo se escoando a vaga
De um êxtase que pode me matar.

A vida inteira, oh! bela, o mar espraia
Algas e pérolas, conchas e corais...
Tua beleza, também nunca desmaia,

Tem a luz crepitante dos cristais!
Estrela do Oriente, contemplai-a,
E vede se mais bela existe, mais!

5 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

15/O3/14, BELA, poema do sergipano Severiano Cardoso, do século XIX.
Renata Cordeiro

Alexandrino Sousa disse...

olá Renata,

assim cantado em verso, por certo mais "bela" não há....

Beijinho
Alex

São disse...

O poema é muito bonito , a canção belissima e voz da grande Elis Regina magnífica.

Embora goste imenso da língua francesa e tenha muita pena que se só se ouça inglês actualmente, prefiro a versão portuguesa...

Minha querida , bom fim de semana e grande beijo

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, um poema lindo.
Beijinhos
Maria

Elvira Carvalho disse...

Um lindo poema e uma bela canção na voz da inesquecível Elis. Ouro sobre azul.
Um abraço e uma boa semana

À margem:
O Sexta não mostra as atualizações, mas tem post novo