segunda-feira, 17 de março de 2014

AVENTURANÇA, POEMA DE MIGUEL TORGA




AVENTURANÇA, POEMA DE MIGUEL TORGA

Ver o mundo de baixo, como um céu
Onde se há-de subir;
Onde a vida nasceu
E onde tem, afinal, de se cumprir.

Erguer os olhos à divina altura
De uma leira de terra semeada;
À imensidão da lua
Onde cresce a ninhada.

Ver astros, tempestades, mitos,
Onde há luas, quimeras, ambições, desejos;
Onde há gritos
E beijos.

5 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

17/03/14, AVENTURANÇA, POEMA DE MIGUEL TORGA.
Renata Cordeiro

Daniel Costa disse...

Renata, te tenho sempre na conta de erudita, Realmente, o Torga será um dos melhores poetas portugueses contemporâneos. Médico em Coimbra, os seus escritos têm muito das suas raízes transmontanas.
Beijos

Luconi Marcia Maria disse...

Lindo demais, hoje consegui, beijos Luconi

Elvira Carvalho disse...

O grande Miguel Torga.
Um excelente poeta, que na maioria dos seus poemas transcreve a vida dura e difícil dos Portugueses.
Um abraço

Jorge disse...

Belíssimo, este poema...e o vídeo é espectacular!
Beijinho Renata!