terça-feira, 4 de março de 2014

AMOR ABRAÇADINHO, POEMA DE DANIEL COSTA




AMOR ABRAÇADINHO, POEMA DE DANIEL COSTA

Podíamos dizer: o amor é bonitinho
Não devemos olhar o mundo como um traço
Porém o amor poderia ser abraçadinho
Devemos abarcar o mundo num abraço
Podemos imaginar um passarito no seu ninho
Metaforicamente, podemos ter coração de aço
Assim sonhava direitinho
O meu anjo me levou a ver a grandeza do espaço
Amor abraçadinho
Sonhava, alado, voava sem embaraço
Chegava à outra galáxia de mansinho
Voando como um poetaço
Já os dois fiéis corcéis, devagarinho
Transportavam-me, algo já via, um gesto de abraço
Gesto, talvez, de amor abraçadinho
O meu peito primeiro foi estreitar um, depois o outro braço
A garota não será o que se poderá chamar traço
Eu, poeta, aprecio mais o amor maneirinho
Era na praia, que se deu o amor sem cansaço
Frente à imensidão do mar, o meu caminho
Depois, o anjo já evoluía na vastidão do espaço
Eu a levitar, acordava com o amor abraçadinho
Acariciava aquele regaço
Por toda a vida continuou o amor abraçadinho

http://danielmilagredanieldaniel.blogspot.com.br

2 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

04/02/14, AMOR ABRAÇADINHO, POEMA DE DANIEL COSTA, nosso grande poeta e amigo.
Renata Cordeiro

Daniel Costa disse...

Renata, o poema do meu oitavo livro, EU E VOCÊ - POEMAS, de que já revi provas. Pelo que vi, no conjunto, o livro será marcante na poesia de Portugal e do Brasil. Já que tem muito de ambos os países irmãos. O prefácio e a tela da capa têm origem no Brasil. São da escritora Severa Cabral. Sabes como eu gosto de reler um dos meus poemas, em blog de amigos. Grato!
Beijos de amizade