terça-feira, 28 de dezembro de 2010

QUADRAS AO GOSTO POPULAR


QUADRAS AO GOSTO POPULAR
Fernando Pessoa


A caixa que não tem tampa
Fica sempre destapada
Dá-me um sorriso dos teus
Porque não quero mais nada.

*

No baile em que dançam todos
Alguém fica sem dançar.
Melhor é não ir ao baile
Do que estar lá sem estar.

*

Vale a pena ser discreto?
Não sei bem se vale a pena.
O melhor é estar quieto
E ter a cara serena.

*

Tenho um relógio parado
Por onde sempre me guio.
O relógio é emprestado
E tem as horas a fio.

*

Aquela senhora velha
Que fala com tão bom modo
Parece ser uma abelha
Que nos diz: "Não incomodo".

*

Não digas mal de ninguém,
Que é de ti que dizes mal.
Quando dizes mal de alguém
Tudo no mundo é igual.

*

Quando vieste da festa,
Vinhas cansada e contente.
A minha pergunta é esta:
Foi da festa ou foi da gente?

*

Tenho uma pena que escreve
Aquilo que eu sempre sinta.
Se é mentira, escreve leve.
Se é verdade, não tem tinta.

*

Deixaste cair a liga
Porque não estava apertada...
Por muito que a gente diga
A gente nunca diz nada.

*

Não há verdade na vida
Que se não diga a mentir.
Há quem apresse a subida
Para descer a sorrir.

*

Tem um decote pequeno,
Um ar modesto e tranqüilo;
Mas vá-se lá descobrir
Coisa pior do que aquilo!

*

Aquela loura de preto
Com uma flor branca no peito,
É o retrato completo
De como alguém é perfeito.


7 comentários:

José disse...

Eu queria dançar contigo
se tu quisesses dançar
eu tenho pés de chumbo
tenho medo de te pisar

A razão de eu só agora estar
chegando aqui, é porque tive
doente, mas já está tudo bem
foi só uma gripe.
Nunca te vás ver livre de mim.

Obrigada por a tua companhia
tem sido fundamental, para ir
caminhando por aqui, espero por
ti sempre,

um grande beijinho,
José.

Sandra Botelho disse...

Prece para Ano Novo Neste ano que se inicia, abra os meus olhos, os meus ouvidos, os meus sentidos e o meu coração. Que eu veja além do comum. Que eu enxergue, através dos homens, o que há de melhor em cada um. Que eu ouça somente as palavras bonitas. Que eu sinta apenas as coisas boas. Que eu seja mais do que um simples mortal. Que eu seja eterna como eterna deve ser a esperança. Que eu seja maior que a própria vontade de crescer. Que eu queira mais do que o próprio querer. Que eu seja mais do que esperam de mim. Que eu possa expandir felicidade e perceber na simplicidade o valor de todas as coisas. Que eu seja a semelhança do bem. Que todos que de mim se aproximarem pressintam o amor que tenho a oferecer. Que eu nunca cobre nada dos outros, mas cobre de mim. Que eu consiga me doar sem esperar agradecimento. Que eu seja simples e grandiosa, como simples e grandiosa é a criação. Que eu permaneça voltada ao que é bom e precioso - a vida em toda a essência de sua grandeza. E assim, serei humana e feliz, humilde e poderosa, amante e amada. Estarei pronta e de braços abertos para colher os frutos de um novo tempo, que espera mais compreensão e tolerância de cada um para todos os seres do universo. Assim, teremos a verdadeira comunhão entre o ser e o mundo que o acolhe - todos os seres inteirados, respeitando o espaço comum. E o mundo ficará bem melhor e eu terei feito apenas, uma parte de tudo isso. Aquela pequena parte que poderá ser a grande diferença. Que eu tenha a felicidade de ver meus amigos e familiares unidos em um só pensamento, o de amor, paz e harmonia. Que eu tenha a felicidade de um ser privilegiado por sua bondade de encontrar no ano que se inicia um mundo melhor para todos os seres do universo. Então estarei em paz. Que assim seja! Bjos achocolatados

Táxi Pluvioso disse...

Temos ano novo, se no espelho não nos olharmos, novo continuará a ser.

Um bom ano.

Emília disse...

Parabéns pelo seu trabalho neste espaço de partilha em 2010 e faço votos que 2011 seja um ano cheio de sonhos concretizados!
Um abraço

Luisa disse...

Feliz 2011!

Abraço

Luísa

Nilson Barcelli disse...

Por incrível que pareça, ainda não tinha lido estas quadras do Fernando Pessoa.
Bom ano, querida amiga.
Beijos.

AC disse...

De clique em clique vim aqui parar, e ainda bem. É que a sensibilidade toca-me sempre.
Vou seguir com todo o gosto.

Bj