quarta-feira, 20 de outubro de 2010

VIVER INFINITO




VIVER INFINITO

Para mim a vida é uma festa de cores e 

sons

olhos e bocas, risos e choros manhosos

de olhares misteriosos

de aperto de mãos e energia fluindo

de sonhos sentidos e corações divididos

de amores eternos e emoções em 

conflito

de desejo e luta pelo sexto sentido

na paz e na luz, do viver infinito.


Teresa Augusto Shanor

26/07/2009 - 13:00h




8 comentários:

Daniel Costa disse...

Querida Rê

No meu caso, mem haverá explicação, mas semppre vi a vida colorida, tal como escreve o poeta.
Talvez advenha daí a razão de viver e amar a vida. Por tudo isto gostei muito do poema.
E como tens talento para seleccionar!...
Ternos beijos

Teresa Augusto Shanor disse...

Olá Renata!

É com muita alegria que vejo a postagem do meu texto nesse espaço, onde as publicações são escolhidas com zelo, primando pela qualidade.
É uma honra.

Obrigada Renata.

Um abraço carinhoso,

Teresa Augusto Shanor

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Quem agradece sou eu, Teresa.
Beijinhos
Renata

prosasdeoutono disse...

Amiga Renata,

sem dúvida que a vida é uma festa de luz, muita cor, muita alegria...senão seria uma profunda escuridão, como escura é a solidão...

Beijinhos
Alex

Everson Russo disse...

Viver no infinito é acreditar no amor, na distancia que tudo se transforma, na força que temos em amar,,,em sonhar e desejar,,,lindo post,,,belissima homenagem a nossa querida amiga Tereza,,,beijos e beijos as duas pela beleza do post....

Norika Taubner disse...

Luz, alegria, cor, festa é ótimo, é bom!!
Parabéns pelo blog!!! :)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito obrigada, Norika. Fui levar-lhe este poema por mim traduzido e cadê o seu Blog? Então fica aqui para você.
Beijos e Boas-Vindas!

"Se às vezes silencioso e pensativo
ao teu lado me sentes ou sentias,
é que eu acho em teus olhos a harmonia
de um linguajar dulcíssimo e expressivo.

E então tu és tão minha, que eu me privo
até de ouvir-te a voz, porque acharia
que rompendo o silêncio desunia
meu ser do teu, pois na tua alma vivo.

E estás tão linda; o meu prazer é tanto,
é tão completo quando assim te miro;
sinto no coração tão doce encanto,

que acho às vezes que em ti eu só admiro
uma visão celeste, um sonho santo
que vai desvanecer-se se respiro!"

Guillermo Blest Gana (1829-1904)

Trad. da Renata Cordeiro

Renata Cordeiro

Dulcinea disse...

Como vai Renata? Vim conhecer o seu cantinho maravilhoso através do convite da minha querida amiga Tereza.
Com certeza Tetê mereceu esta linda homenagem. VIVER NO INFINITO: amizade sincera, deixar a nossa alma aberta para o mundo,enfrentar as adversidades que a vida nos impõe com maestria: chorar e sorrir, lutando sempre com muita luz.
Parabéns Tetê, linda poesia. Beijos