sábado, 19 de junho de 2010

CINCO HORAS*************************






CINCO HORAS*************************

Mário de Sá Carneiro

Minha mesa no Café,
Quero-lhe tanto... A garrida
Toda de pedra brunida
Que linda e que fresca é!

Um sifão verde no meio
E, ao seu lado, a fosforeira
Diante ao meu copo cheio
Duma bebida ligeira.

(Eu bani sempre os licores
Que acho pouco ornamentais:
Os xaropes têm cores
Mais vivas e mais brutais).

Sobre ela posso escrever
Os meus versos prateados,
Com estranheza dos criados
Que me olham sem perceber...

Sobre ela descanso os braços
Numa atitude alheada,
Buscando pelo ar os traços
Da minha vida passada.

Ou acendo cigarros,
- Pois há um ano que fumo -
Imaginário presumo
Os meus enredos bizarros.

(E se acaso em minha frente
Uma linda mulher brilha,
O fumo da cigarrilha
Vai beijá-la, claramente...)

Um novo freguês que entra
É novo actor no tablado,
Que o meu olhar fatigado
Nele outro enredo concentra.

E o carmim daquela boca
Que ao fundo descubro, triste,
Na minha ideia persiste
E nunca mais se desloca.

Cinge tais futilidades
A minha recordação,
E destes vislumbres são
As minhas maiores saudades...

(Que história de Oiro tão bela
Na minha vida abortou:
Eu fui herói de novela
Que autor nenhum empregou...).

Nos cafés espero a vida
Que nunca vem ter comigo:
- Não me faz nenhum castigo,
Que o tempo passe em corrida.

Passar tempo é o meu fito,
Ideal que só me resta:
P'ra mim não há melhor festa,
Nem mais nada acho bonito.

- Cafés da minha preguiça,
Sois hoje - que galardão! -
Todo o meu campo de acção
E toda a minha cobiça.

Mensagens de Amor



8 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Benjamin disse...
A essência poética,
mistura-se a essência do poema.
Lindo.
Bjux querida.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Daniel Costa disse...
Renata

Confesso que conheço pouco de Mário Sá Carneiro, mas algo que tenho lido sobre ele, dá-o como genial. O poema que me parece ter sido escrito, observando, é uma maravilha. Obrigado por ele e por tudo. Há algo também que devo agradecer-te, o conteúdo do cabeçalho, logo abaxo da tua foto, penso que não foi poisar ali por acaso.
Beijos
Daniel

Maria disse...

Querida amiga, excelente escolha.

Tenha um feliz fim-de-semana

"A felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive, porque a vida não mede o tempo, mas o emprego que dela fazemos." (Autor desconhecido)

bjs do tamanho do infinito
Maria

Blue disse...

Ora pois,
em um café de Paris,
realizar meu sonho,
eu tanto queria!

Beijos

José disse...

No café desta avenida
junto ao porto de abrigo
bebendo uma bica contigo
e falando da nossa vida

Há! que bom que seria
beber um café docinho
ter a tua companhia
e também o teu carinho

Não desistas nunca.

depois ficava eu só

um beijinho doce,
José.

Celylua - O blog das Letras disse...

Renata querida, este poema é maravilhoso, eu amei.
Parabéns pela brilhante escolha do poema
Beijos no coração!

Sonhadora disse...

Minha querida
Uma bela escolha, adoro Mário de Sá Carneiro.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Machado de Carlos disse...

É bom ler e admirar os textos que você escolhe com bastante carinho. Quando chego aqui minha alma fica iluminada. Obrigado porque você existe e que eu posso vir até aqui e comentar suas coisas belas.