terça-feira, 8 de junho de 2010

BALADA DO CREPÚSCULO***************************






BALADA DO CREPÚSCULO









Eu te encontrei perdido


onde o sol se escondeu


atrás da lua que não se via


onde o vento se perdeu


Sorri e te disse: vê aquela estrela no céu?


No meio de tantas estrelas



É única, uma só, como tu e eu


Despimo-nos de preconceitos


Os corpos se tocaram por momentos


Fomos crepúsculos que se amaram



Percorreste com um beijo meus vales


E paraísos cúmplices sem igual


Trocamos olhares e sorrisos


Tu te achaste em mim,


Senti a tua mão me tocar


Tremi, enfim,



Tu redefiniste a palavra:



Amar*







Domínio Público, remexida pela Renata Cordeiro*




10 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

08/06/2010 - Balada do Crepúsculo*
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Essa eu tirei do Baú. Do meu Blog *Gótico*. Muito conhecida e variada. Eis a minha remexida.
Boas Semana para todos Nós.
Beijos*

Sandra Botelho disse...

O amor com suas tantas definições...
Linda poesia...
Bjos achocolatados no coração

Marta disse...

Gostei imenso....
Bom gosto...
Beijos e abraços
Marta

César Ramos disse...

Aquele olhar da foto que por mais discreto que eu quisesse ser não pude 'desgrudar'..., mais o conteúdo e a essência do poema..., foram a solução radical para me recompor de um pesadelo de hoje que me prendeu a monstros que a noite me deu por visitantes!

Este poema tão lindo vai servir-me de oração se os demónios da noite me quiserem de novo perturbar!

Se na verdade o Céu existe..., este seu blog é um condomínio do Paraíso.

Obrigado

Abraço
César Ramos

Benjamin disse...

Estou vendo uma estrela aqui,
Linda, cheia de energia,
Trazendo graça aos corações,
Abrilhantando a nossa noite.
Linda poesia.
bjux querida,

Daniel Costa disse...

Renata

Bebíssimo poema, há crepúsculos maravilhosos, que nos pôem a meditar, falando nos reais. Noutros
talvez tanto, talvez mais.
Beijos
Daniel

Machado de Carlos disse...

Diga-me: Como você está?

Na última mensagem clico em seu nome e você não aparece. Vou aproveitar e escolher uma imagem para o meu soneto novo.

José disse...

No meio de tantas estrelas
que eu estou vendo no céu
tu és uma das mais belas
e o brilho não se perdeu

Gostei desta frase do César, "este blog é um condomínio do Paraíso".

Me pareces um pouco tristinha hoje
se pudesse ajudar.

deixo o meu carinho
e um beijinho,
José.

Maria disse...

Amiga, lindissimo poema, um hino ao amor.

"O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar."

Carlos Drummond de Andrade

bjos do tamanho do infinito
Maria