segunda-feira, 10 de maio de 2010

PERFUME DE MULHER, POR UNA CABEZA**********************




PERFUME DE MULHER, POR UNA CABEZA****************




Carlos Gardel/Alfredo Le Pera





Eu já desconfiava, quando tu chegavas tarde pra

Jantar.

E sem qualquer conversa dizias depressa: estive a trabalhar

Tu sentavas-te a mesa

E com safadeza mentias pra mim

E eu ia, no teu jogo.

E punha as mãos no fogo que não era assim






Por isso sai, sai da minha vida.

Vai não quero sofrer

Sai que eu morro de ciúmes

Ai desse perfume da outra mulher

Por isso sai, sai da minha vida.

Vai não te quero ver

Sai sem nenhum queixume

E leva o perfume da outra mulher







E os telefonemas, cartas e poemas.

Que eu bem li

E aquele retrato que ao limpar teu quarto

Ai eu descobri

Sim os sonos agitados

Que tinhas a meu lado, dizendo sem fim.

O nome de quem tu amavas

Por ela chamavas mesmo ao pé de mim







Eu já sabia tudo

Mas tu lá no fundo pensavas que não

Nem se quer disfarçavas, as marcas deixadas no teu

Jaquetão.

Sim as madeixas negras

Que hoje ainda negas, mas que eu te digo.

Que são, são da mesma dona.

Desse novo aroma, que trazes contigo.









14 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

10/05/2010 *PERFUME DE MULHER, POR UNA CABEZA**********************
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Pois é sigam o perfume, mas que ninguém fique sem a cabeça.
Boa Semana com Amor e Paz.

cristal de uma mulher disse...

O perfume é uma delicias e as pontas de tuas palavras me encantam.
Beijo e boa semana

Wanderley Elian Lima disse...

Olá menina
O poema é linda, mas o vídeo arrasou. Amei
Beijos

Isa disse...

O vídeo...uma maravilha!
O filme...perfeito.
Beijo.
isa.

Jortas disse...

O perfume, torna a mulher numa flor orvalhada.

Mar Arável disse...

Aprender aprender

sempre

Valdecy Alves disse...

Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

www.valdecyalves.blogspot.com

Jose Sousa disse...

Olha, querida... cá estou em teu blog. Como vez não podes dizer que não te sigo. Vou-te seguir e presseguir! Quero te agradecer por me dares a conhecer o autor desta musica. Pois anda aqui uma armada em cantora (Ágata) que canta esta musica.
Um doce beijo

wcastanheira disse...

Uauu q lindo poema, sugestivo, instigante, mas apelativo poderia ela ser discreta, suave e...fazer de um modo tão diferente mas tão intenso q ele não voltaria a dona das pretas madeixas, gostei, pra vc minha linda bjos, bjose bjossssss

Machado de Carlos disse...

Um Perfume Eterno. Assim entendia o cego e visionário do filme!

Sandra Botelho disse...

Linda canção.
Belo video.
Infidelidade e traição...Isso fere mais um punhal.
Bjos achocolatados

Daniel Costa disse...

Renata

Um bonito poema, a bela canção dançada e junta ao perfume de mulher, pode resultar numa explosão, tal é a sensação.
Beijos
Daniel

José disse...

Olá querida Rê!

Gostei o perfume de mulher, e muito do tango,e gostei de mais coisas mas não digo!

Por isso fica
perfume de mulher
és linda e bonita
não te quero perder

um beijinho grande,
José.