sexta-feira, 23 de abril de 2010

POEMA À MÃE***********************************





POEMA À MÃE********************************


Eugénio de Andrade



No mais fundo de ti

Eu sei que te traí, mãe.



Tudo porque já não sou

O menino adormecido

No fundo dos teus olhos.





Tudo porque ignoras

Que há leitos onde o frio não se demora

E noites rumorosas de águas matinais.



Por isso, às vezes, as palavras que te digo

São duras, mãe,

E o nosso amor é infeliz.



Tudo porque perdi as rosas brancas

Que apertava junto ao coração

No retrato da moldura.



Se soubesses como ainda amo as rosas,

Talvez não enchesses as horas de pesadelos.



Mas tu esqueceste muita coisa;

Esqueceste que as minhas pernas cresceram,

Que todo o meu corpo cresceu,

E até o meu coração

Ficou enorme, mãe!



Olha - queres ouvir-me? -

Às vezes ainda sou o menino

Que adormeceu nos teus olhos;



Ainda aperto contra o coração

Rosas tão brancas

Como as que tens na moldura;



Ainda oiço a tua voz:

Era uma vez uma princesa

No meio do laranjal...



Mas - tu sabes - a noite é enorme,

E todo o meu corpo cresceu.

Eu saí da moldura,

Dei às aves os meus olhos a beber.



Não me esqueci de nada, mãe.

Guardo a tua voz dentro de mim.

E deixo as rosas.



Boa noite.Eu vou com as aves.

Mensagens de Amor







8 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

23/04/2010 Poema à Mãe************
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Acho que não tempo muito mais o que falar, a não ser desejar um Feliz Fim de Semana a todos nós.
Beijos

Hod disse...

Um post leal Rê, de Eugénio tb gosto:

" É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer".

Bom final de semana amiga,

Beijo pra vc.

Hod.

Alvaro Oliveira disse...

Olá Querida RENATA

Pouco tenho para dizer minha amiga, para além das palavras
dee Eugénio de Andrade. A não ser
para mais uma vez realçar o bom
gosto na sua escolha e selecção
das postagens.
Se cuide, para que a recuperação total seja jáaaaaaaa!

Beijinhos

Alvaro

Daniel Costa disse...

Renata

Homenagem belíssima, que só uma poeta como só um poeta como Eugénio de Andrande saberá dedicar a sua mãe.
Beijos
Daniel

Sandra Botelho disse...

Lindissimo poema as mães. me senti homenageada.
Ah! Visita meu novo blog?
sandra-botelho.blogspot.com
Minhas fotos, quer dizer: Fotos tiradas por mim. Espero que goste. Bjos achocolatados

José disse...

Olá querida Rê,

Que bonito poema este de Eugénio de Andrade, dedicado à mãe. E uma boa escolha que fizeste.
Obrigada por tudo minha amiga.

um bom fim de semana
beijos muitos
José.

Táxi Pluvioso disse...

É curioso, porque os portugueses são, de facto, muito apegados à mãe, (eu também, às mães dos outros, quero dizer). :-)) bfds