quinta-feira, 5 de novembro de 2009

OS TEUS OLHOS, POEMA DE FLORBELA ESPANCA


OS TEUS OLHOS
Florbela Espanca

O céu azul, não era
Dessa cor, antigamente;
Era branco como um lírio,
Ou como estrela cadente.

Um dia, fez Deus uns olhos
Tão azuis como esses teus,
Que olharam admirados
A taça branca dos céus.

Quando sentiu esse olhar:
“Que doçura de primor!”
Disse o céu, e ciumento,
Tornou-se da mesma cor!




5 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Quinta-feira, 05/11/2009, Poesia de Florbela Espanca.
Renata Cordeiro

Marta disse...

Uma boa escolha.
Um soneto lindo...
Beijos e abraços
Marta

Lucas Lima disse...

Florbela nos faz ler com os poros, rsrsrs
bons dias

Daniel Costa disse...

Renata

A poesia de Florbela Espanca é de sonho, faltou-lhe a liberdade social, para viver plenamente esse sonho.

Beijos
Daniel

Nilson Barcelli disse...

Poema e música muito bonitos.
Gostei imenso.
Beijos.