quarta-feira, 4 de novembro de 2009

HORA APÓS HORA


HORA APÓS HORA


Mark Williams e Tara Morice


Deitada na minha cama

Ouço o tique-taque do relógio

E penso em ti

Presa em círculos

Confusões não são nada de novo

Recordações de noites quentes

Quase esquecidas

Qual cofre de lembranças

Hora após hora

Por vezes tu me imaginas

A caminhar bem à frente

Tu me chamas porém não consigo ouvir

O que dissestes

Então dizes: vai devagar

Começo a diminuir o ritmo

O ponteiro dos segundos vai pra trás

Se estiveres perdido abre os olhos

E me vais encontrar

Hora após hora

Se caíres hei de segurar-te

Estarei à tua espera

Hora após hora

Depois minha imagem desaparecerá

A escuridão se tornará cinza

Observando pelas janelas

Cogitarás se estou bem

Segredos roubados de lá do fundo

A batida do tambor fora do ritmo

Se estiveres perdido abre os olhos

E me vais encontrar

Hora após hora

Se caíres hei de segurar-te

Estarei à tua espera

Hora após hora

Dizes: vai devagar

Diminuo o ritmo

O ponteiro dos segundos vai pra trás

Se estiveres perdido abre os olhos

E me vais encontrar

Hora após hora

Se caíres,

Hei de segurar-te

Estarei à tua espera

Hora após hora

Hora após hora

Hora após hora

Hora após hora

Tradução de
Renata cordeiro





6 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Quarta-feira, 04/11/2009, poesia multilingue aqui.
Renata Cordeiro

Vivian disse...

...sempre bom passear por aqui
e navegar pelo doce mundo
da melhores poesias.

deixo beijos...

Graça disse...

Bem, minha amiga, que boa surpresa chegar aqui e ouvir Cesária Évora!

Quanto ao poema, por si traduzido, gostei muito... mas isso já é quase comum, porque eu adoro as suas escolhas!

Beijo imenso de carinho

Sonhadora disse...

Lindo Poema
Vou voltar mais vezes
Beijo

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia de qualidade . Um achado!

Luciana disse...

Essa música é tudo de bom e o filme é maravilhoso ótima lembrança
Bjs