terça-feira, 1 de setembro de 2009

UM POEMA DE JOSÉ LUIS PEIXOTO


Não imaginas, ninguém imagina, como o meu peito

ficou vazio depois de partires. o teu sorriso existia

ainda dentro de mim, mas já não eras tu. era a tua

imagem.


não penso para onde foste porque o meu peito, sem

ti, fica atravessado por lâminas. tenho um silêncio

dentro. toco os sítios onde estiveram as tuas mãos.

sinto o que sentiste.
fico acordado de noite, com a esperança secreta de

que possas regressar.


Foto "Sweet Dreams" de Daniel Pedrogam

Um comentário:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bela escolha, Marta! Gostei muito.
Beijos,
Renata