sexta-feira, 4 de setembro de 2009

SERENIDADE, UM POEMA DE RAUL DE CARVALHO



Raul de Carvalho
1920 - 1984


Vem, serenidade!

Vem cobrir a longa

fadiga dos homens,

este antigo desejo de nunca ser feliz

a não ser pela dupla humidade das bocas.



Vem, serenidade!

faz com que os beijos cheguem à altura dos ombros

e com que os ombros subam à altura dos lábios,

faz com que os lábios cheguem à altura dos beijos.

"Sleeping Beauty " Edward Burne-Jones

Um comentário:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Gosto de Raul de Carvalho! Boa escolha, Marta!
Beijos,
Renata