quarta-feira, 23 de setembro de 2009

RAIZ - PARTE II, POEMA DE MARTA VINHAIS, MOMENTOS, POEMA DE RENATA CORDEIRO



RAIZ – PARTE II


Marta vinhais


Sei que gostas de mim…

Sinto-o...

Dentro de mim…

Como uma raiz…

Mais profunda que a própria paixão

Tão proclamada nos sonetos de Amor

Que me lês...

Talvez seja a transparência

Com que te escreves no meu dia…

Sei que gostas de mim…

Falas-me à alma…

Inundas-me com a tua…

Sinto muito mais que mera paixão

Quando sozinha,

Fico com as memórias do teu corpo

Nesse conforto de saber

Que estarás sempre dentro de mim...
MOMENTOS
Renata Cordeiro

Numa tira de papel

– uma das tantas folhas que carrego - ensaio

um poema e me lembro – quando muito – de uma canção

Ao redor, cenas perfeitas nos gestos

E rostos desconhecidos

E você monta num roteiro imaginário

Diálogos não ouvidos, reconstruindo

Num piscar de olhos a vida, um teatro?

Olhos abertos, submergimos em nossa própria história

ah, essas águas contidas que às vezes

rompem barragens e nos arrastam no turbilhão...

Essas pupilas que se refletem não precisam de linguagem;

são dois espelhos cara a cara à procura de uma imagem

quando a vêem são muitas, divididas

Girar a roda do tempo

tornar àquela praia, falar ao vento

e às ondas do mar do ponto

em que se se cruzaram - estranhos – nossos caminhos...

entre quatro paredes reviver os momentos de prazer

e dor antecipada da tristeza mais funda deste mundo...

As mil histórias que vivemos rebelam-se

à escritura, não querem perenidade à falta de futuro

talvez só um pouco de ternura, querem ser presente,

mesmo que efêmera felicidade












7 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Desejo prometido e correspondido, Marta.
Beijos,

Marta disse...

Que maravilha!!! Os poemas completam-se e as imagens estão bem enquadradas no espírito..
Adorei...
Beijos e abraços
Marta

Blue disse...

E lendo este pedaço de papel, encontrei teu lindo poema!
E fui ver também o belo video...

Beijos

Andresa disse...

Oi Renata
Que linda postagem , que maravilha saiu nas tiras de papel que carregaste!
Um grande beijo
Andresa

Luciana disse...

Que lindo essa dupla é muito boa parabéns as duas.
Bjs com carinho

Graça disse...

Ao ler estes dois poemas, fica-se com a sensação de que é tão fácil de fazer! Dizer o sentimento com esta simplicidade só para a verdadeira poesia. Parabéns a ambas. Adorei.


Beijos meus a repartir.

Daniel Costa disse...

Renata

A Marta voltou a escrever outro poema interessante, não será fácil com, a simplidade, como ela o faz, focando algo de muito importante da vida.
Completas com um outro belo poema, ilustrações a compôr um ramalhete bonito de se acompanhar.
Beijos a ambas.
Daniel