sábado, 5 de setembro de 2009

O TEMPO QUE ME RESTA, UM POEMA DE FILIPE CAMPOS MELO





Penso em ti no tempo que me resta.
E no restante, penso em ti.
Para fugir ao vento,
De nós, fugi.


Sinto teus sons,
Traços desenhados em meu corpo.

Não és lembrança em bau fechado.
És eco do meu sonho,
Reminiscência do desejo.
Aroma.


Foto "Submissão" de Nelson Perez (Olhares)


Um comentário:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Gostei muito do poema e da ilustração. Boas escolhas, Marta.
Beijos,
Renata