segunda-feira, 7 de setembro de 2009

AURORA, UM POEMA DE ADOLFO CASAIS MONTEIRO


ADOLFO CASAIS MONTEIRO
(1908 - 1972)

A poesia não é voz - é uma inflexão.

Dizer, diz tudo a prosa. No verso

nada se acrescenta a nada, somente

um jeito impalpável dá figura

ao sonho de cada um, expectativa

das formas por achar. No verso nasce

à palavra uma verdade que não acha

entre os escombros da prosa o seu caminho.

E aos homens um sentido que não há

nos gestos nem nas coisas:

vôo sem pássaro dentro
Foto de Fernando Dias "Bom dia" (Olhares)

2 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Adorei, Marta! Lindo! Sabe que fui a melhor aluna dele na USP? Fiz todos os cursos, me escapa o nome, de João Paulo Monteiro, creio que é este, que ministrava Epistemologia.
Beijos, querida, já volto a falar com vc.
Beijos e beijos,

tulipa disse...

Começo por dizer que é a 1ª vez que cá venho, pois li algures que hoje havia aniversário por aqui, corri os 3 blogues e não vejo nada que aponte para um aniversário...
inclusivamente convidava alguém para vir beber um chá, cheguei quase na hora do chá, mas...estou sozinha...onde estão todos?

Venho anunciar a minha RENTRÉE - com uma Exposição daqui a 15 dias...
e, perguntar-lhe: será possível contar consigo nesse dia?

Estou com nervoso miudinho...
Preciso do apoio de todos que puderem estar presentes!!!
Beijinhos.