domingo, 30 de agosto de 2009

EM AVALON, UM POEMA DE DANIEL ALADIAH


Como o vento

abandonado nas árvores,

procurando o norte,

enclausurado

num tempo tão curto....



O mundo foge-me.

E eu,

num espaço interminável,

perco-me em ti,

e ouço o silêncio.



Livro "II Antologia de Poetas Lusófonos"
Foto "Love in Stone" de Subina Olga

2 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo, Marta! Boa escolha.
Beijos,
Renata

Daniel Costa disse...

Marta

Profundo poema belo pensamento!...
Óptima escolha.

Beijos,
Daniel