sábado, 29 de agosto de 2009

AMOR BASTANTE, POEMA DE PAULO LEMINSKI (1944-1989)


AMOR BASTANTE
Paulo Leminski (1944-1989)


quando eu vi você
tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse
de dentro de um diamante
e o meu olho ganhasse
mil faces num só instante



basta um instante
e você tem amor bastante



6 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Poema deste poeta maravilhoso, que gostava de ser chamado de "marginal", e que morreu precocemente, de cirrose hepática. Deixou obras fantásticas.
Renata Cordeiro

~~jorge disse...

poema perfeito, as palavras alinhadas como as faces de um cristal, dá a sua luz num radiar simples, aceita outra leitura, outra colocação do olhar... Cristal perfeito.

Beijo, Nanata
--j

Vivian disse...

...adoro isso aqui:

Um homem com uma dor
é muito mais elegante
caminha assim de lado
como se chegasse atrasado
andasse mais adiante
carrega o peso da dor
como se portasse medalhas
uma coroa um milhão de dólares
ou coisa que os valha
ópios édens analgésicos
não me toquem nessa dor
ela é tudo que me sobra
sofrer, vai ser minha última obra

Paulo Leminski

e é claro, amodoro você!

Marta disse...

Que lindo!!!
Brilhante e perfeito...
Gostei imenso...
Beijos e abraços
Marta

Luci@n@ disse...

Rê essa postagem está perfeita e adoro a música do Jota Quest.
Amiga essas imagens que tu tem colocado entre os poemas está muito linda ficou mil vezes melhor assim chama a atenção das pessoas gostei mesmo.
Bjão

Daniel Costa disse...

Renata

O poema é muito belo mesmo e tu continuas a ilustrar a perceito.
Adorei!
Beijos,
Daniel