segunda-feira, 6 de julho de 2009

GAIVOTA, UM POEMA DE ALEXANDRE O'NEILL


gaivota

Composição: Alexandre O'Neill e Alain Oulman

SE UMA GAIVOTA VIESSE
TRAZER-ME O CÉU DE LISBOA
NO DESENHO QUE FIZESSE
NESSE CÉU ONDE O OLHAR
É UMA ASA QUE NÃO VOA
ESMORECE E CAI NO MAR

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

SE UM PORTUGUÊS MARINHEIRO
DOS SETE MARES ANDARILHO
FOSSE, QUEM Sabe, o primeiro
A contar-me o que inventasse
Se um olhar de novo brilho
Ao meu olhar se enlaçasse

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

Se ao dizer adeus à vida
As aves todas do céu
Me dessem na despedida
O teu olhar derradeiro
Esse olhar que era só teu
Amor, que foste o primeiro

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

Nota: Esta é a letra de um fado, um dos meus favoritos.

(Foto "Black Bird" Altruista, Olhares.Com)

4 comentários:

sagitario disse...

olá Marta,
lindo poema e cantado pela grande e saudosa Amália.
Eu tenho a sorte de viver em Lisboa e de apreciar todas as maravilhas da nossa cidade.
um dia feliz para si.
jokas

Graça disse...

E um dos meus favoritos também. Adoro O'Neill.

Beijos meus

AFRICA EM POESIA disse...

Passei e deixo um beijo


CHEGUEI...

Cheguei aqui e parei...
Cheguei aqui e sorri...
Sorri com muita força...
Pois sei que aqui sou eu...

Aqui paro e escuto...
E sei que escuto o que eu gosto
E sinto o carinho que me cerca
E sei que é um querer de verdade...

Porque aqui...eu estou...eu fico...eu sou!...
E quando a amizade é de verdade...
Eu cresço e fico muito maior...

É por isso...
Que eu sou pequena...
Mas muitas vezes...
Me sinto "grande"-

Lili Laranjo"Reticências Apenas"

FLORES E AMORES disse...

bonito
cores:))