terça-feira, 7 de julho de 2009

FUI SABENDO DE MIM - Mia Couto-


Fui sabendo de mim

por aquilo que perdia

pedaços que sairam de mim

com o mistério de serem poucos

e valerem só quando os perdia


Fui ficando


por umbrais


aquém do passo


que nunca ousei


eu vi


a árvore morta


e soube que mentia...




3 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito bonito, Ana. Parabèns pela escolha, que é sempre refinada.
Beijos,
Renata

Marta disse...

Não conheço muito bem a poesia de Mia Couto - gostei deste poema..
Só compreendemos o valor das coisas quando se perdem no labirinto dos tempos.
Beijos e abraços
Marta

Luciana disse...

Parabéns pela escolha.
Bjs