segunda-feira, 29 de junho de 2009

SONETO 164 DE LUÍS DE CAMÕES, TRADUZIDO DO CASTELHANO POR RENATA CORDEIRO


Estudo para Lady Claire, John W. Waterhouse


SONETO 164

Luís de Camões (1525-1580)



Ondas que pelo mundo caminhando
Sempre ides empurradas pelo vento,
Convosco carregai meu pensamento,
Até onde está quem o está causando.



Dizei-lhe que vos vou acrescentando
Dizei-lhe que não há vivo momento,
Dizei-lhe que não morre meu tormento,
Dizei-lhe que não mais vivo esperando.



Dizei-lhe quão perdido me encontrastes,
Dizei-lhe quão chegado me partistes,
Dizei-lhe quão sem vida me matastes.



Dizei-lhe quão chagado me feristes,
Dizei-lhe quão sem mim vós me deixastes,
Dizei-lhe quão com ela vós me vistes.



TRADUÇÃO DO CASTELHANO POR RENATA CORDEIRO

7 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Publiquei este soneto de Camões que traduzi, porque nem todo mundo sabe que ele escrevia em castelhano.
Renata Cordeiro

Graça disse...

Sabe que na altura de Camões vivia-se uma certa "promiscuidade" entre o português e o castelhano... enfim, coisas da corte :)).

Mais uma vez, neste soneto, surge um Camões anafórico... e eu gosto, apesar de não ser um poeta do meu grande agrado.


Beijos meus

(prefiro Eugénio... mil vezes!]

FLORES E AMORES disse...

naum sabia que camoes escrevia espanhol
amores :))

MARIA disse...

Portugués escreve em espanhol e brasileira tarduz para o portugues, vou ficar doida
Abraço, Rê
Maria

CINDERELA disse...

muito bem lembrado, traduçao muito boa
chau da Cindi

THE ONE disse...

Além de ser gostosa demais,s abe tanta coisa...
eu volto
Beijo na barriga
nando

Luciana disse...

Não sabia mesmo que ele escrevia em castelhano.
Bjs