sexta-feira, 19 de junho de 2009

O AMOR QUE SINTO, POEMA DE JOSÉ GOMES FERREIRA

O amor que sinto

O amor que sinto

é um labirinto.

Nele me perdi

com o coração

cheio de ter fome

do mundo e de ti

(sabes o teu nome),

sombra necessária

de um Sol que não vejo,

onde cabe o pária,

a Revolução

e a Reforma Agrária

sonho do Alentejo.

Só assim me pinto

neste Amor que sinto.

Amor que me fere,

chame-se mulher,

onda de veludo,

pátria mal-amada,

chame-se "amar nada"

chame-se "amar tudo".

E porque não minto

sou um labirinto.

José Gomes Ferreira

(Foto "Nothing as it seems" Raul Alexandre, Olhares.Com)

3 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo poema, Marta, gostei da escolha. Confesso que não conhecia o poeta. Por isso que resolvi criar este Blog.
Um beijo,
Renata

Sandra disse...

lINDO POEMA RENTA.
O amor é realmente um labirinto, que nos faz, se perder numa dobra e outra.
Parabéns.
Sandra

Pedrasnuas disse...

ADOREI ESTE POEMA ...O AMOR QUE SINTO...É EFECTIVAMENTE UM LABIRINTO ONDE NOS PERDEMOS ...A VIDA É ISSO MESMO...NUNCA MAIS VOLTÁMOS ATRÁS...
AMOR FERIDA, PÁTRIA MAL AMADA POR MUITOS DOS SEUS FILHOS...

BEIJO RENATA